Allergo
AGENDE SUA CONSULTA (44) 3622-6393

Artigos

Reações alérgicas cruzadas: especialista esclarece as dúvidas 23 de agosto de 2019

Você já ouviu falar em reação alérgica cruzada em alergia alimentar? É a resposta alérgica a fontes distintas (como, por exemplo, o látex e o kiwi) devido à presença de componentes estruturais muitos semelhantes nas duas ou mais fontes e que, por isso, são reconhecidos como iguais pelo sistema imunológico. É possível observar reatividade cruzada entre fontes relacionadas (como, por exemplo, entre leite de vaca e cabra) ou fontes filogeneticamente distantes (camarão e ácaro).

A Dra. Lucila Camargo, especialista da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI), explica sobre esse tipo de alergia na entrevista abaixo:

Quais as reações alérgicas cruzadas mais comuns?

Dra. Lucila: certamente as reações cruzadas entre fontes próximas são as mais comuns como, por exemplo entre os leites de mamíferos e entre os ovos de diferentes espécies, mas existem outras síndromes clínicas que são importantes (látex-frutas, pólen-frutas, gato-porco, reação cruzada entre ácaros e crustáceos e etc.). No estudo PROAL II, a tropomiosina foi o componente alergênico marcador de reação cruzada com maior taxa de sensibilização em nosso país. É o componente responsável por reatividade cruzada entre ácaros, crustáceos e baratas.

Como é feito o tratamento?

Dra. Lucila: o tratamento é igual a qualquer outra alergia. Deve-se evitar a exposição ao alérgeno desencadeador de sintomas e prescrever medicamentos para o caso de contato ou ingestão acidental. O diferente ao conduzir estes pacientes é pensar na possibilidade de reação cruzada, alertar o paciente, proceder a investigação e excluir as fontes alergênicas cruzadas caso estas causem sintomas. No caso da sensibilização para o látex já é indicativo evitar o contato. 

É difícil o diagnóstico de uma reação alérgica alimentar cruzada?

Dra. Lucila: exames auxiliares, como a pesquisa de sensibilização a componentes marcadores de reação cruzada facilitam muito a investigação diagnóstica após uma anamnese rigorosa. A reatividade pode ser apenas sorológica, ou seja só sensibilização a fontes cruzadas (teste alérgico positivo, mas ausência de sintomas) ou ter manifestação alérgica associada às fontes envolvidas. Na dúvida se é alergia ou sensibilização, sempre recorrer ao teste de provocação em ambiente adequado, realizado por especialistas experientes, para ter certeza. 

Esse tipo de reação vem aumentando?

Dra. Lucila: não dispomos de dados conclusivos a respeito, mas na prática clínica temos observado cada vez mais alergias a alimentos como amendoim (leguminosa) e castanhas, que eram incomuns no Brasil e que podem ter reatividade cruzada entre si e com pólens. É preciso estar alerta em um mundo cada vez mais globalizado, onde as pessoas circulam e podem se sensibilizar as mais diferentes fontes.

A reação pode ser grave, chegando à anafilaxia?

Dra. Lucila: sim, todas as manifestações alérgicas são possíveis: sintomas cutâneos, orais ou gastrointestinais, respiratórios e até anafilaxia. 

Fonte: http://www.asbai.org.br/secao.asp?s=128&id=1373&fbclid=IwAR1a1thvxNxgkDRBafaF8J4AN





Avenida Rio Branco - 4332 - 87501-130 - Umuarama/PR - (44) 3622-6393
Facebook


Prestige